Image

Verticalização de Presídios: Qual o interesse por trás disso?

29/04/2019 19:20:04  

 

Quando começou a fala do pessoal da Infraestrutura, eu estava lá atrás e quase fui embora. Mas depois, graças a vocês terem convidado a Suzann, e ela trouxe lucidez à conversa, lançou luz sobre o tema e ofuscou de maneira muito grande aqueles que tinham falado. Por tudo que você (Suzann) falou: modelo de presídios, dinâmica de segurança, campo de visão para a segurança varrendo 200 graus, fantástico. E aí eu vim aqui para a frente.

 

O que eu tenho para falar para vocês é que muitos não sabem nada sobre Sistema Prisional, a não ser que vivenciem aquilo lá. Em 2003, eu fiquei 23 horas refém numa rebelião. Não é nada legal. Eu sei quando a coisa ferve, e numa construção vertical, me perdoem aqueles que estão se debruçando sobre o tema, isso é ridículo!

 

E eu fico pensando o que há de interesse por trás disso. Quem está tão interessado? Quanto que falaram que tem disponível? 50 milhões? Eu fui prefeito do Complexo de Bangu, por alguns anos, e sei um pouco do que é o Sistema Prisional ali de Bangu. Sistema de esgoto de uma cadeia que foi construída e pensada para 800 presos e tem 3 mil, então já não comporta mais. E todas as unidades tem suas mazelas e aqueles que trabalham lá sabem disso. E eu fico pensando por que gastar 50 milhões? E qual o interesse nisso? Todos que falaram, ninguém cerrou fileiras com vocês da Infraestrutura.

 

Ninguém falou: É... realmente o projeto é interessante, é viável, é bacana. Ninguém! Todos que falaram foram contrários em seus argumentos. Por que será? Quem sentou nessa mesa e projetou, ou está pensando essa verticalização? Qual é o grupo que está por detrás disso? Quem é o maior interessado, ou os mais interessados nisso? Não somos nós do Sistema Prisional, nem os presos. Então tem alguma coisa errada.

 

Eu queria que vocês pensassem nisso. Hoje, lá em Bangu, no Plácido Sá Carvalho, tem 4300 presos, 7 guardas na turma. Insano! E o governo não está nem aí para isso. Não está preocupado com o alojamento do guarda, se ele tem um ar condicionado para descansar bem o quarto de hora, para tentar o mínimo de vigilância possível. Está preocupado em verticalizar, fazer essa insanidade desse projeto que vocês colocaram, mas com que finalidade? Será que é financeira? Eu não sei. Será que é financeiro?

 

É uma vergonha ouvir vocês falarem sobre verticalização. O governador, não sei da onde chegou. Acho que chegou de Marte a pouco tempo e trouxe essas ideias, se é que as ideias são dele ou estão vendendo pra ele e dizendo pra ele que é muito rentável fazer isso. Desculpe a ousadia mas é isso que eu vou falar.

 

Todos aqui falaram contra, mostraram mais os contra do que prós. Porque prós eu não vi nenhum. Então queria deixar com vocês isso. E aqueles que trouxeram o projeto e apresentaram eu gostaria que vocês fossem embora e depois chegassem lá na sua mesa de conversa com aqueles que estão pensando e debruçando sobre o tema e falassem: olha só, desculpa a vergonha que eu passei, mas é nada viável não.

 

Não quero ser leviano, mas tem alguma coisa por trás disso, porque nada de bom tem na verticalização do Sistema Prisional. Queria deixar aqui a minha repulsa a esse projeto. E hoje, em Bangu, nesse momento, os guardas estão lá no sufoco. Com 50 milhões dá para fazer muita coisa no Complexo de Bangu. Dá para melhorar muito a condição de acautelamento dos presos, dos inspetores trabalharem, das áreas técnicas atuarem. Só que há um grupo que não está pensando nisso, não está nem aí.

 

Elias Alves é inspetor do Sistema Penitenciário há 20 anos.