Image

Participação e luta sindical: A decisão é de cada um, o resultado atinge a todos

19/12/2017 21:51:17  

DECISÃO DA CATEGORIA

O resultado da convocação feita à categoria através dos veículos oficiais do Sindicato, site (www.sindsistema.com.br); Facebook e Twitter, e propagação adicional em grupos independentes de WhatsApp, demonstra que a categoria resolveu não se manifestar e aguardar o cumprimento do pagamento do 13° salário de 2016 com previsão anunciada pelo governo após a publicação da assinatura do contrato entre União e Estado do Rio de Janeiro, na sexta-feira (15).

DIFERENÇA ENTRE REPRESENTATIVIDADE E LEGITIMIDADE

A diferença entre representatividade e legitimidade é que a primeira é marcada pela participação da categoria nas lutas, fato além da ação da diretoria sindical, e a segunda é atestada nas urnas pelo voto da maioria, fato que levou a atual diretoria à vitória ratificada e reiterada em nossas recentes conquistas. O papel da diretoria é orientar, operacionalizar e conduzir a categoria na busca pelos melhores resultados. A atual diretoria do Sindicato vem trabalhando incansavelmente para delinear uma nova identidade do que seja representar a categoria de inspetores penitenciários.

“Controlamos o caos no sistema penitenciário. Temos papel relevantíssimo no controle do caos do Rio de Janeiro. Quem acha que potencializar esse caos pode surtir um efeito positivo nem precisa do Sindicato para fazê-lo. Mas, digo sem medo de errar: cuidado, porque ninguém está preparado para as consequências. Porque marginalizar essa categoria é a coisa mais fácil”, destaca Gutembergue de Oliveira, presidente do Sindicato.

Nesses dois primeiros anos de atuação a atual diretoria do SindSistema vem construindo uma nova imagem da categoria de inspetores penitenciários junto aos órgãos de fiscalização e instituições da Segurança Pública ao mostrar a nossa realidade. “Estivemos no Quartel General do Exército em Brasília e fomos tratados com alta deferência. Conforme dito pelos oficiais, não existe outra categoria como a nossa, a atividade que fazemos ninguém faz. Não podemos errar em nossas avaliações, tampouco em nossa condução. Tudo o que fazemos é diante das conjecturas, das circunstâncias mais uma vez afirmadas aqui nessa tarde noite”, pontuou o presidente do SindSistema Gutembergue de Oliveira.

Marcada para o dia 18 como uma estratégia, considerando a data de 20 de dezembro o limite para o pagamento do 13° salário de 2017 e, o prazo de 72 horas exigidas para a ciência dos órgãos caso não ocorresse o pagamento do 13° salário de 2016, a Assembleia deflagraria um movimento se assim fosse deliberado e encampado pela categoria. Quanto à comunicação aos órgãos a data não seria problema uma vez que se mantém o plantão judiciário tanto na 1ª instância quanto na 2ª instância, independente do recesso.  Quanto ao local escolhido para a realização da Assembleia a atual diretoria deliberou e sustenta que a sede campestre (sítio cuja existência já é de conhecimento dos servidores penitenciários há 20 anos) é o local de reunião da categoria, conforme atestado no sábado (16) quando lá estiveram cerca de 700 pessoas para a confraternização organizada pela atual diretoria do Sindicato.  

Mesmo a oposição não arregimentou ou mobilizou seu grupo. Imputam à diretoria a falta de disposição da categoria para as grandes batalhas, como se a certeza da necessidade da luta não fosse algo pessoal, mas trabalho de uma diretoria, esquecidos de que as mesmas indignidades e mazelas existem há muito mais que dois anos. “Assumimos o Sindicato na maior crise financeira, econômica, social, política, institucional que esse estado já viveu nos últimos anos. Com uma oposição que não se valeu da mesma ferocidade para suportar o que suportou de um sindicato de um homem só, numa presidência que durou nove anos”.

“Nem todo mundo quer o melhor. Tem aqueles que querem que a crise se prolongue para usá-la como palco. O papel da diretoria sindical não é insuflar, tampouco potencializar o caos, o que fazemos é trabalhar pela valorização dessa categoria, valorizar a família dos inspetores penitenciários, ter a capacidade de receber as críticas e equilíbrio para não fazer nada fora dos parâmetros legais. Cuidado com os caminhos que parecem auspiciosos, promissores, mas que podem tornar a nossa caminhada mais árdua”, alerta Gutembergue.