Image

Segunda turma de 2003 tem aula inaugural

13/11/2017 17:14:08  

Na segunda-feira (13), duzentos e vinte e sete (227) concursados aprovados no certame de 2003 participaram da aula inaugural do Curso de Formação de Inspetores de Segurança e Administração Penitenciária para a 2ª turma de convocados. O evento foi realizado no Teatro Serrador, no Centro do Rio. A nova turma foi recebida pelo secretário de Estado de Administração Penitenciária, coronel PM Erir Ribeiro Costa Filho, pelos subsecretários Lindinaldo Moraes (Geral), Ingrid Silva Rocha (Gestão Estratégia), Sauler Sakalen (Gestão Operacional), pelo diretor da Escola de Gestão Penitenciária, Paulo Alier de Oliveira Vazquez.

 

Coordenadores, demais staff e diretores do Sindicato dos Servidores do Sistema Penal (SindSistema) estavam presentes para as boas vindas aos novos alunos. O secretário de Administração Penitenciária Erir Ribeiro frisou que após a formatura no curso os novos admitidos serão lotados nas unidades de Campos, Itaperuna, Resende e Volta Redonda. “Vocês entraram para serem inspetores penitenciários. No mínimo dois anos vocês vão ter que conhecer a cadeia”, disse aos recém-chegados. “Do inspetor que está lá, abrindo e fechando o cadeado, até o subsecretário, vocês estarão incluídos também nesse fortalecimento da Seap”, disse desejando boa sorte e bom curso.

 

Intrinsecamente ligados desde a gestão sindical de 2004 até a convocação e a aula inaugural de hoje, essa segunda turma de concursados percorreu uma longa caminhada. À época, o inspetor penitenciário Paulo Ferreira (Chacrinha) estava presidente do sindicato, e Gutembergue de Oliveira era vice-presidente. Mais de 280 processos judiciais foram impetrados (litisconsórcio) pelo SindSistema em favor dos concursados que sequer faziam parte do quadro de sindicalizados, mas que já àquela altura eram representados pelo SindSistema.

 

A atitude do sindicato fez com que fossem propostas outras ações que culminaram com a convocação dos concursados de 2003, num total de 468 novos inspetores. Essa reivindicação foi também pauta de reunião com o governador Luiz Fernando Pezão, ocorrida no Palácio Guanabara em 6 de julho de 2017. “Tão logo aconteceu a reunião entre essa diretoria do sindicato e o governador, o processo foi retomado”, pontuou Gutembergue.

 

O SindSistema saúda todos os alunos da segunda turma de convocados no concurso de 2003. Concurso que custou muito sacrifício e a espera de longos treze anos, até que chegassem a essa conquista. Com desejo de boa sorte e sucesso no desempenho das atividades que lhes serão destinadas. Sejam todos muito bem vindos!

 

SINDICATO ENTRA COM AÇÃO ANTECIPADA

O SindSistema-RJ, através do advogado Bruno Costa, entrou com processo de Ação Coletiva de obrigação de fazer com tutela antecipada para a sustação do estágio experimental e pagamento regular na folha, em defesa dos novos alunos do Curso de Formação de Inspetores de Administração e Segurança Penitenciária. O objetivo da antecipação é evitar o inoportuno que sofreu a turma anterior de concursados 2003 ao terem o pagamento da bolsa auxílio vinculado ao recebimento de empenho pela Seap.

 

“O sindicato vem trabalhando antecipadamente na defesa dos direitos dessa segunda turma de convocados no concurso de 2003. A atual diretoria continuará reivindicando todas as vagas que foram preteridas do concurso de 2003, pois entendemos que houve ilegalidade por parte da administração pública”, ressaltou o presidente do Sindicato.

 

 

ESTÁGIO PEDAGÓGICO

Após as aulas teóricas e práticas os novos alunos passarão uma semana em aula supervisionada nas unidades prisionais. O diretor da Escola de Gestão Penitenciária, inspetor penitenciário Paulo Alier de Oliveira Vazquez, explicou que os alunos serão distribuídos em pequenos grupos e poderão vivenciar de perto a dinâmica do cotidiano carcerário, sob a supervisão dos chefes de segurança dos estabelecimentos prisionais. A ideia é promover o contato dos alunos com setores como a Portaria, Inspetoria, e atividades de segurança como visitas e banho de sol. Após as experiências os alunos voltam à EGP onde serão realizados estudos de casos do que foi vivido nas unidades prisionais, e então a prova teórica final.